Incubadoras X Aceleradoras: Qual é melhor opção?

by

Estamos vivendo a onda do empreendedorismo, da inovação e da busca de negócios de alto impacto e que possam fazer a diferença onde quer que estejam. E muito se tem falado alguns dos grandes facilitadores na criação de ecossistemas empreendedores, tanto suas vantagens quanto suas desvantagens, suas diferenças e semelhanças.  Estamos falando das INCUBADORAS e das ACELERADORAS. Mas, você realmente sabe o que é e como funciona cada uma? Qual modelo é o melhor?

Começando pelos objetivos de cada um, as incubadoras tem como papel acompanhar, avaliar e apoiar a empresa durante todo o período de incubação, visando criar condições propícias para o seu desenvolvimento e fortalecimento  como um negócio. Normalmente, as incubadoras procuram apoiar pequenas empresas de acordo com alguma diretiva governamental ou regional, como por exemplo projetos de energia ou inclusão social em uma região que precisa da expansão nessa área. Por serem normalmente organizações sem fins lucrativos, as incubadoras procuram cobrar valores subsidiados pela infraestrutura oferecida.

No caso das aceleradoras, o foco não está necessariamente em uma necessidade local, mas sim em empresas que apresentam um potencial de crescimento rápido e escalável. E por serem entidades com fins lucrativos, elas oferecem, além dos recursos de uma incubadora, um pequeno investimento para permitir as startups executarem seus planos iniciais, e em troca, recebem uma participação no seu negócio.

Outra diferença é que normalmente as incubadoras pedirão seu plano de negócio, enquanto as aceleradoras irão pedir o seu modelo de negócio. Isso acontece pois as incubadoras, que normalmente são apoiadas por financiamento público, precisam de uma maior formalidade na avaliação dos projetos, enquanto as aceleradoras querem mais é uma boa ideia que faça sentido.

As aceleradoras, são lideradas por empreendedores ou investidores experientes, e usam capital privado para seu próprio financiamento. Enquanto incubadoras, por sua vez, são lideradas por gestores com experiência na mediação do poder público, universidades e empresas, já que usam verba pública de editais para si e para as empresas incubadas, sua principal fonte de financiamento.

Enquanto as aceleradoras buscam apoiar os empreendedores com sessões de mentoria, tanto em palestras como e principalmente com conversas pessoais entre empreendedor e mentor, as incubadoras se baseiam no modelo tradicional de consultores, que são contratados para apoiar os incubados a um valor reduzido, já que vão atender um maior volume de empresas.

Por fim, outra diferença é o tempo que as startups recebem apoio, que no caso das incubadoras varia normalmente de 12 a 24 meses, e nas aceleradoras esse período é menor, em média entre 3 e 8 meses.

E então, qual é o melhor modelo? Para nós, a resposta é: DEPENDE. Um modelo pode atender mais as expectativas e necessidades de um negócio do que de outro, dependendo do tipo de suporte que você precisa, do tipo de negócio que é o seu, e até do ambiente e cidade que seu negócio se encontra. E aí, para a sua empresa, qual é o melhor modelo?

 

INCUBADORAS

ACELERADORAS

Tipo da organização

Sem fins lucrativos normalmente.

Com fins lucrativos.

Público

PMEs de acordo com alguma diretiva governamental ou regional.

Empresas com potencial de crescimento rápido e escaláveis, independente de necessidades prévia.

Exigência

Plano de negócios

Modelo de negócios

Liderança

Gestores com experiência em mediar o poder público, universidades e empresas.

Empreendedores ou investidores experientes.

Apoio

Modelo tradicional de consultores.

Sessões de mentoria.

Investimento

Verba pública.

Investimento privado.

Tempo de suporte

12 a 24 meses normalmente.

3 a 8 meses normalmente.